29Abr

Bruno Omori fala sobre a hotelaria em Ribeirão Preto

Durante entrevista, presidente da ABIH-SP reafirma o que diz a OMT quanto à movimentação do turismo em uma localidade e seu entorno

Cidade-sede da 20ª Agrishow, maior feira de agronegócios da América Latina, Ribeirao Preto (SP) deve ter praticamente 100% de seus hotéis ocupados nos cinco dias do evento que começa em 29 de abril. O município, que de acordo com o Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares conta com 11 mil leitos, recorre a cidades da região para acomodar visitantes de outras partes do país: um público que representa a maioria das 155 mil pessoas esperadas na feira.

 

Segundo o secretário de Turismo Tanielson Campos, apenas 10 mil visitantes da Agrishow são de Ribeirão. “O público que é da cidade é pequeno. Nós temos 140 mil visitantes que vêm até a Agrishow e não são de Ribeirão. Isso gera dinheiro em todos os setores. Na rede hoteleira, nos restaurantes, nos postos de combustíveis, no comércio. Todo mundo sai ganhando”, diz.

 

Em razão dessa procura por acomodações, a realização da Agrishow depende das cidades no entorno de Ribeirão quando o assunto é hospedagem, afirma o presidente do Sindicato dos Hotéis, Carlos Frederico Marques. O movimento chega a hotéis em Araraquara (SP), Barretos (SP), Bebedouro (SP), Cravinhos (SP), Franca (SP), Sertãozinho (SP), entre outras. "As cidades num raio de até 120 quilômetros ficam tomadas pela Agrishow.  Apesar de Ribeirão Preto, sozinha, não comportar o evento, a região tem condições de acomodar os visitantes", diz.

 

Embora Ribeirão não tenha condições de abrigar todos os frequentadores da feira, Marques não vê necessidade em se expandir a rede hoteleira local baseando-se nos números sazonais da Agrishow. "O investimento não pode se pautar e ficar restrito ao período de ocupação de uma semana. A média anual de ocupação em Ribeirão é de 50%. Um hotel  já é rentável com uma ocupação de 40%. Não podemos considerar a Agrishow como único impulsionador da hotelaria em Ribeirão, apesar de ser uma fonte de renda muito grande", afirma.

 

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Estado de São Paulo (Abih-SP), Bruno Omori, concorda com Marques e acrescenta que também é importante que a Agrishow beneficie a região. "Se os hotéis a 100 km de raio de um evento conseguem atender à demanda de hóspedes, o evento é altamente viável. A Organização Mundial de Turismo prevê que eventos devem movimentar não somente a cidade-sede, mas todo o entorno dela", diz.

 

Omori defende um planejamento hoteleiro que equilibre a oferta e a demanda por leitos na cidade, levando em conta o crescimento urbano e as oportunidades de negócio. "Por conta do agronegócio, Ribeirão fica cheia durante a semana. Aos finais de semana, o movimento dos hotéis cai."

 

Hospedagem alternativa


Diante da alta concorrência por hotéis na Agrishow, os motéis são uma alternativa para quem procura acomodação, mas as vagas também são disputadas. Segundo o empresário Rafael Pacca de Albuquerque, 60% das suítes dos dois motéis que possui na cidade já estão reservadas para a feira de agronegócio. "Ainda tenho disponibilidade de suítes, mas até o final desta semana é provável que elas se esgotem. Normalmente trabalhamos com diária de 24 horas, mas na Agrishow o volume de hóspedes é sem dúvida muito maior", afirma.


Além de tarifa mais acessível, os motéis chegam a dispor de diferenciais como cozinha 24 horas, reservas fracionadas e suítes sofisticadas para atrair mais clientes, de acordo com o empresário. "Alugamos os quartos para uma, duas, três diárias. Hoje em Ribeirão a maioria dos hotéis só fecha pacotes para a Agrishow", diz Albuquerque, que cobra diárias de R$ 200 a R$ 600, durante a Agrishow.

 

De acordo com Albuquerque, apesar da resistência de algumas pessoas, seus motéis já contam com clientes fixos há anos no decorrer da feira de agronegócio. "Muitos preferem ficar conosco pela sofisticação e pelo conforto que proporcionamos. Mas também há pessoas que são resistentes pelo local ser um motel", afirma.

 

Chácaras


Outra opção para quem não consegue reservar hotel é hospedar-se em chácaras próximas à feira. Segundo o presidente do Sindicato dos Hotéis, as imobiliárias de Ribeirão Preto oferecem esses locais para locação. "Essa época é considerada alta temporada em Ribeirão. Não temos um número específico, mas acreditamos que cerca de duas mil pessoas fiquem alojadas em chácaras e residências em Ribeirão Preto", afirma.

 

 

Fonte:g1.globo.com/sp/ribeirao-preto-franca/noticia/2013/04/ribeirao-preto-conta-com-cidades-da-regiao-para-hospedagem-da-agrishow.html

 


Deixe seu comentário

Consulte nossa parceira da ABIH/SP

 

Associados

Selecione a cidade

Ou escolha por ordem alfabética

  • Turismo Paulista
  • ABIH
  • IDTCEMA
  • MW Way
  • Compre o Certificado Digital com desconto
  • RENT MY BRAIN
  • UBRAFE
  • São Paulo é tudo de bom